Seja bem vindo ao Rondonia Live! Sua fonte de informação em tempo real.
quarta-feira , 17 julho 2024
Webmail: contato@rondonialive.com
DestaquesGeral

Aterro sanitário proporciona benefícios ao meio ambiente e à saúde da população de Porto Velho

Lixão a céu aberto na Vila Princesa foi desativado em novembro de 2023

Resíduos coletados recebem a destinação ambientalmente corretaA Prefeitura de Porto Velho, mais uma vez demonstrando responsabilidade ambiental e social, além do respeito para com a Lei 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, encerrou (em 2023) as atividades na lixeira a céu aberto que funcionava há décadas na Vila Princesa e implantou o Aterro Sanitário.

Desde então, os resíduos coletados nas áreas urbanas do município recebem a destinação ambientalmente correta, sendo levados para o Aterro Sanitário. Com isso, também evita que os catadores de recicláveis tenham contato direto com o material coletado, proporcionando a esses trabalhadores um atendimento mais digno e saudável.

“A ação foi determinada através da portaria nº 109/Semusb/2023, que institui o Plano de Encerramento da Lixeira Sanitária Municipal da Vila Princesa e estabeleceu as diretrizes para seu fechamento”, explicou Cleberson Pacheco, titular da pasta.

Chegada do aterro sanitário significa mais saúde e qualidade de vida para a população de Porto VelhoO fechamento da lixeira, no entanto, não aconteceu de imediato. De forma gradativa, os resíduos coletados foram sendo levados para o aterro sanitário devidamente licenciado, conforme o contrato nº 042/PGM/2023, firmado pelo município com a empresa CTR-Porto Velho.

“É importante destacar que a contratação de aterro sanitário, devidamente licenciado, oferece a destinação ambientalmente correta para os rejeitos, contribui para uma melhor qualidade de vida aos munícipes e evita a proliferação de vetores causadores de doenças, além da eliminação de odores desagradáveis e contaminações ao meio ambiente”, enfatiza Pacheco.

Ele também disse que desde a contratação da CTR-Porto Velho, na primeira quinzena de setembro de 2023, até a primeira quinzena de maio de 2024, um total de 77.047,42 toneladas de resíduos foram encaminhados para o Aterro Sanitário, “dando destinação adequada a esses rejeitos, livrando o meio ambiente de contaminações e de todas as mazelas que um lixão a céu aberto representa”.

BENEFÍCIOS

Mudança proporciona aos trabalhadores um atendimento mais digno e saudávelDe acordo com o gestor ambiental Eliezer de Oliveira, especialista em saneamento e tecnologia ambiental, e a engenheira ambiental Márcia Alves, que é especialista em gestão ambiental e licenciamento, ouvidos em setembro de 2023, a desativação do lixão e a chegada do aterro sanitário significam, em primeiro lugar, mais saúde e qualidade de vida para as pessoas, e proteção ao meio ambiente com mais sustentabilidade.

“O aterro sanitário recebe o lixo, onde primeiramente é feita a pesagem e a separação dos recicláveis. Os demais resíduos são depositados em local impermeabilizado, com cobertura de argila devidamente compactada. Já o lixão é um depósito a céu aberto, sem qualquer planejamento ou medida de proteção aos meio ambiente ou à saúde pública”, destacou Márcia Alves.

“Com um lixão, o resíduo é jogado de qualquer forma, o que é danoso à saúde pública, ao meio ambiente e também do ponto de vista social e econômico”, completou Eliezer Oliveira.

Benefício eventual por situação de vulnerabilidade temporária foi assinado em agosto de 2023Para a coordenadora de Recursos Hídricos do Estado de Rondônia, Daniely Cunha, também ouvida em 2023, a substituição do lixão pelo aterro sanitário gera impacto positivo no Sistema Único de Saúde (SUS), com redução na fila de atendimentos.

“Com a destinação correta, o chorume não contamina os lençóis freáticos, a população passa a não consumir água contaminada e, assim, não desenvolvem doenças e, consequentemente, não sobrecarrega as unidades de saúde e hospitais”, comentou.

MÃOS DADAS

Por meio da Lei Complementar Nº 984, de 31 de agosto de 2023, a Prefeitura instituiu o “Mãos Dadas”, benefício eventual por situação de vulnerabilidade temporária, destinado às famílias de catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis da comunidade Vila Princesa, por conta do fechamento da lixeira que funcionava no local, de onde os trabalhadores tiveram o sustento.


Texto: Augusto Soares
Foto: Ricardo Farias/ Felipe Ribeiro/ Leandro Morais/ Wesley_Pontes

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

Artigos Relacionados

DestaquesGeral

Tenda Família Cidadã atenderá o assentamento Joana Darc I na zona rural de Porto Velho

Atendimentos acontecerão no próximo sábado (06), das 9h às 14h, na Escola...

DestaquesGeral

Prefeitura de Porto Velho realiza busca ativa em residências para resgatar cobertura vacinal

Campanha do Ministério da Saúde quer garantir a imunização de crianças menores...

DestaquesGeral

Maior evento de previdência pública do Brasil atribui 1º lugar ao Iperon em governança previdenciária 

O Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Estado de Rondônia (Iperon) recebeu...

DestaquesGeral

Inscrições para cursos remotos profissionalizantes na área de gestão seguem até segunda-feira, 8

Estão abertas até segunda-feira (8), inscrições para cursos profissionalizantes remotos que vão...